Buscar
  • Luciano Melo

PSICOTERAPIA: O QUE É E PARA QUE SERVE?

PROJETO TERAPIA EM LETRAS - TEXTO 2

O ser humano é, ao contrário dos outros animais, um ser pensante e, por isso, dotado da capacidade de se construir. Isto quer dizer que temos a possibilidade de fazer escolhas tendo em vista a nossa felicidade.

Ao mesmo tempo, fazemos parte de uma realidade específica, que tem características sociais, políticas, econômicas e culturais. Não somos seres solitários, mas, ao contrário, vivemos e con-vivemos com pessoas que, por sua vez, assim como nós, também desejam a felicidade.


Tudo isso faz com que ser feliz se torne um verdadeiro desafio, que traz dificuldades para o autoconhecimento e para a definição de um projeto de vida que conduza verdadeiramente à realização pessoal.

Nesse contexto, muitas pessoas, ainda que não sofram de um transtorno psicológico específico, têm encontrado na psicoterapia um instrumento indispensável para sua saúde mental. Mas, o que é a psicoterapia, para que serve e a quem se destina?

Etimologicamente, psicoterapia vem do grego: PSYQUE quer dizer “alma, espírito, mente” e THERAPEÍA quer dizer “cura”. Assim, em seu sentido originário, o primeiro movimento da psicologia seria, sim, o de “curar a alma”.


A partir do desenvolvimento da Psicologia como ciência que estuda a mente e o comportamento humanos, no entanto, o conceito da psicoterapia tomou um sentido mais amplo e, assim, a psicoterapia passou a ser entendida como um recurso para a compreensão da mente humana, independente da existência de transtornos psicológicos.


Nesse sentido, a psicoterapia, ou simplesmente “terapia”, como é popularmente conhecida, significa um processo de autoconhecimento e autoconstrução, que é realizado por meio de sessões com duração de aproximadamente 50 (cinquenta minutos), com a participação de um cliente (paciente) e seu psicoterapeuta (psicólogo).

A sessão de psicoterapia pode ser considerada uma espécie de “porto seguro”, em que a pessoa que realiza a terapia pode falar de si “sem reservas” e o terapeuta atuará de forma objetiva (sem preconceitos ou posicionamentos pessoais) para ajudar seu cliente a se compreender, encontrar soluções para seus problemas pessoais e a tomar decisões sobre sua própria vida.


Um dos pontos mais importantes do Código de Ética da Psicologia se refere ao sigilo, ou seja, um psicólogo pode, inclusive vir a ser cassado, caso algo que seja dito numa sessão de psicoterapia se torne público.

Embora o mais comum seja a realização da psicoterapia individualmente, ela também pode ser realizada por casais ou por grupos.

Uma vez que são muitas e variadas as formas de compreensão da mente e do comportamento do indivíduo, igualmente são diversas as abordagens terapêuticas (ou “tipos de psicoterapia”). Entre elas, podemos destacar a cognitivo-comportamental, a psicanálise, a existencial-humanista, a Gestalt, a abordagem centrada na pessoa, entre outras.


Embora a psicoterapia possa ser buscada por pessoas que querem “apenas” se conhecer mais profundamente, alguns sinais evidenciam que é recomendável que se busque um apoio psicológico: vazio existencial, tristeza persistente e sem causa aparente, níveis elevados de ansiedade e estresse, baixas autoestima e autoconfiança, falta de motivação, entre outros.


Você tem se sentido infeliz? Abandone o preconceito e procure ajuda profissional para uma avaliação psicológica!



Texto: Psicólogo Luciano Melo (Clínica Argos Psi).

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:

RIBEIRO, Jorge Ponciano. Psicoterapia: teorias e técnicas psicoterápicas. 2ª ed. São Paulo: Summus, 2013

1.992 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo