TIPOS DE PSICOTERAPIA

Hypnosetherapeut-finden-1030x687.jpg

Psicoterapia

A psicoterapia, mais popularmente conhecida como terapia ou acompanhamento psicológico, sempre foi vista com desconfiança e preconceito por muitas pessoas que, por falta de informação ou preconceito, consideravam-na um recurso a ser procurado por quem apresentava transtornos psicológicos.

No entanto, de acordo com a Associação Americana de Psicologia, a psicoterapia deve ser entendida como uma atividade que tem como objetivo avaliar, diagnosticar e tratar reações emocionais, formas de pensamento e padrões de comportamento que geram sofrimento a uma pessoa, o que não quer dizer que, necessariamente, a mesma sofra de um transtorno psíquico.

Assim sendo, pode-se dizer que a psicoterapia consiste num processo de auto conhecimento e de auto construção e que, por isso, pode ser indicada a todas as pessoas, independente de sua idade, sem exceção.

Há tipos diferentes de psicoterapia, mas eles podem ser organizados em quatro grandes grupos: a Psicodinâmica, da qual faz parte a Psicanálise, a Cognitivo-comportamental, a Humanística e a Integrativa.

A ARGOS oferece o atendimento terapêutico individual a adolescentes, adultos e casais pela Terapia Cognitivo-comportamental.

PCC.jpg

Psicoterapia 

Cognitivo-Comportamental

A Terapia Cognitivo-comportamental, popularmente conhecida como TCC, é uma forma de psicoterapia que reúne um conjunto de teorias psicológicas derivadas da Terapia Cognitiva, criada por Aaron Beck, e da Terapia Comportamental, que tem em Skinner um de seus principais expoentes.

A TCC tem como fundamento a crença de que existe entre nossos pensamentos, nossas emoções e sentimentos e nossos comportamentos uma ligação inseparável.

Assim sendo, nossa forma de pensar sobre a chamada tríade cognitiva (nós mesmos, a realidade em que estamos ineridos, o que inclui as pessoas com as quais convivemos, e nosso futuro) interfere diretamente em nossas emoções, em nossos sentimentos e em nossos comportamentos.

Além disso, ela defende que nossos comportamentos podem ser previstos e remodelados, se compreendidos dentro da relação que possuem com nossa forma de pensar, com nossas emoções e nossos sentimentos e a realidade da qual fazemos parte.

Entre os objetivos da Terapia Cognitivo-comportamental podem ser citados: aprofundar o autoconhecimento, identificar pensamentos, emoções, sentimentos e comportamentos limitantes, identificar e corrigir distorções cognitivas, reformular esquemas cognitivos (formas de pensar) e crenças disfuncionais e ressignificar experiências.

 A ARGOS oferece atendimento pela abordagem Cognitivo-comportamental a adolescentes e adultos, na modalidade individual, e também a casais.

adoles.jpg

Psicoterapia
de 
Adolescentes

A adolescência é uma fase essencial do nosso desenvolvimento, marcada por muitas e importantes mudanças na vida do indivíduo.

 

O mundo contemporâneo, marcado principalmente pela existência de novas estruturas familiares, pela presença maciça da mulher no mercado de trabalho, pelo desenvolvimento tecnológico, pela atração intensa das redes sociais e pelos inúmeros apelos consumistas da mídia influencia e condiciona diretamente a vivência da adolescência e faz com que pais se sintam, muitas vezes, atônitos e perdidos.

 

Nesse contexto, os adolescentes, com suas estruturas frágeis e em construção, uma rotina estressante e repleta de atividades, e submetidos a uma sobrecarga emocional, podem enfrentar graves dificuldades em seu desenvolvimento, que se manifestam por baixo rendimento escolar, agressividade, dificuldades de socialização, automutilação, depressão e ansiedade.

 

Diante desse quadro, a procura por atendimento psicológico vem aumentando, pois a psicoterapia, que é realizada num ambiente de acolhimento, segurança e diálogo, visa a auxiliar os  adolescentes, bem como seus pais e cuidadores, a enfrentarem esse momento desafiador de uma forma mais saudável.

psicoterapia casal.jpg

Psicoterapia de Casal

Os problemas amorosos são uma importante causa de crises existenciais e transtornos psíquicos, como depressão e ansiedade, e podem ser gerados por pensamentos automáticos inadequados, interpretações rígidas e equivocadas de situações cotidianas, por uma dificuldade para analisar uma situação colocando-se no lugar do outro e pela adoção de padrões e expectativas pouco realistas.

 

Mas, as dificuldades de um relacionamento não se restringem à forma como cada um dos cônjuges pensa sobre si mesmo, sobre o outro e sobre a sua relação. Em sua forma de agir, também podem ser encontradas causas de seus desentendimentos amorosos, como: a má comunicação, a resolução inadequada de problemas do cotidiano e a falta de diálogo.

 

Diante disso, os objetivos da terapia cognitivo-comportamental no acompanhamento de casais em conflito são: a reestruturação de seus pensamentos inadequados, o manejo de suas emoções, a modificação de suas formas de comunicação ineficazes e o desenvolvimento de estratégias para solução de problemas do cotidiano.